Tel.: +55 71 3204.5650

Notícias e Novidades

Pare de fumar ou sinta na pele

Quinta, 23 Abril 2015

Pare de fumar ou sinta na pele

O cigarro deixa a pele com irrigação sanguínea deficiente, prejudicando a oxigenação.

Para celebrar o Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto de 2008, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realiza a campanha "Pare de fumar ou sinta na pele", com o objetivo de esclarecer a população sobre o fumo e suas consequências na pele.

Além de estar relacionado à doenças pulmonares e cardiovasculares crônicas, o tabagismo é responsável por alterações na pele. Estudos mostram que as fibras elásticas da pele são afetadas em 100% dos pacientes fumantes.
 

Fumantes têm mais rugasl

De acordo com pesquisa, realizada na Santa Casa de São Paulo, os fumantes têm rugas mais pronunciadas do que os não fumantes, 90% e 52%, respectivamente. Segundo o coordenador da campanha, dr. Marcus Maia, a pele de quem fuma fica mais envelhecida porque a nicotina chega à pele pela parte interna e lesa as fibras de sustentação causando verdadeiros vincos cutâneos.

“A expressão clínica das alterações cutâneas causadas pelo tabagismo foi evidenciada por vários trabalhos. A face do tabagista é definida por aparência acinzentada da pele, com rugas, vincos, linhas nos cantos dos olhos, ao redor dos lábios, numerosas linhas superficiais nas bochechas e região mandibular, proeminência óssea, aprofundamento das bochechas e atrofia da pele”, explica. Além disso, fumar causa mais alterações na face do que o sol excessivo.
 

Pele poderia indicar futuro enfizema

Em outro estudo realizado pela Santa Casa de São Paulo, procurou-se testar a hipótese de uma associação temporal entre o grau de alterações da pele – “faces de tabagismo” – e a intensidade da doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema).

De acordo com os resultados, houve correlação direta entre o grau de obstrução pulmonar e as alterações na pele, pois as fibras alteradas pela nicotina tanto no pulmão quanto na pele são as mesmas. Portanto, especula-se que a pele poderia ser marcador clínico para um futuro desenvolvimento do enfisema.

“Atualmente, com a importância cada vez maior que o corpo e a beleza exercem sobre a sociedade, o fato de a pele ser profundamente lesada pela nicotina pode contribuir na luta mundial de combate ao tabagismo”, afirma o dr. Marcus Maia.
 

Mecanismo de ação

O imiquimod é um gel/creme que tem a capacidade de estimular os mecanismos imunológicos do paciente na região afetada, fazendo com que o próprio organismo destrua o tumor. Em contato com as células doentes, a pomada causa uma reação inflamatória no local, semelhante a uma alergia, até que o tumor morre, sem deixar marcas ou cicatrizes.

Essa pomada já era usada no Brasil no tratamento das verrugas genitais causadas pelo papilomavírus humano (HPV). Diante da sua eficácia nesses tipos de lesões, vários estudos foram feitos para comprovar que os benefícios poderiam ser estendidos para os tumores superficiais da pele.
 

Pele de quem pára de fumar melhora com o tempo e tratamentos

O cigarro deixa a pele com irrigação sanguínea deficiente, prejudicando a oxigenação. Como conseqüência, as fibras de sustentação se deterioram, causando rugas profundas e aparência envelhecida cada vez mais acentuada.

Quem decidir parar de fumar deve saber que a melhoria da pele não será imediata. Os tratamentos dermatológicos são uma opção para melhorar a pele dos ex-fumantes.
 

Fonte: Assessoria de Imprensa da SBD (19/08/2008)

Fonte: Jornal Pequeno - MA (19/06/2006).